terça-feira, 8 de dezembro de 2009

PERDOA-NOS...

Ultimamente estou com uma indignação muito grande dentro de mim. Temos visto por aí escândalos envolvendo novamente 'evangélicos'. Pessoas que oram agradecendo à Deus pelas coisas roubadas.
É tanto engano. Quando são pegas, essas pessoas tem a capacidade de dizer que é perseguição do diabo, que não fizeram nada de errado.
Talvez eu esteja sendo repetitiva em escrever sobre isso, pois sei que em alguns textos anteriores já citei minha indignação com o que está se fazendo 'em nome de Deus'. Mas... que evangelho é este que está sendo pregado? Que evangelho é este que tira o sustento de muitas pessoas, para enriquecer alguns? Que evangelho é este, que promete curas, milagres, prosperidade, em troca de uma grande quantia de dinheiro? Que evangelho é este, onde apenas uns poucos possuem 'a unção', e que sabem exatamente a hora em que o Espírito Santo vai agir?
Muitas pessoas estão buscando apenas o Deus Salvador, mas não querem que Ele seja Senhor de suas vidas. Buscam apenas o Deus que dá carro, casa, e se esquecem de Jesus, que disse que deveríamos tomar a nossa cruz a cada dia e segui-lo.
Há muitos pregadores que estão dando mais ênfase no diabo do que em Deus. Gastam horas expulsando demônios, encostos. Dão mais 'ibope' para o diabo do que pra Deus.
Esse não é o evangelho verdadeiro. Chega de falsidade!
Conforme diz a música, só nos resta pedir perdão a Deus, por aquilo que temos feito com o Seu evangelho:


"Perdoa-nos, ó Deus! Somos muitos e muitos e muitos
Semeando mais o mal do que o bem
Perdoa-nos, ó Deus! Pois o mal que semeamos
Tem se virado implacavelmente contra nós
Perdoa o sangue derramado
Sobre a terra desde Abel

Perdoa-nos, ó Deus!
Perdoa-nos... perdão.

Perdoa-nos, oh, Deus! Somos muitos e muitos e muitos
Semeando mais o mal do que o bem
Perdoa-nos, oh, Deus! Pois o mal que semeamos
Tem se virado implacavelmente contra nós

Perdoa-nos, ó Deus!
Perdoa-nos... perdão.

Perdoa o sangue derramado
Sobre a terra desde Abel
Junte, ó Deus, nossos ossos secos
Sopra a vida mais uma vez

Perdoa-nos, ó Deus!
Perdoa-nos... perdão.

Nos perdoe, ó Deus
Pelo imperialismo, o nazismo, o comunismo,
O capital selvagem, impiedoso, inescrupuloso
A escravidão... a religião...
Sempre querendo te domesticar
Te encaixotar, te fazer de empregadinho
Perdão, por tanto fariseu se dizendo filho teu
Que não convenceu, que só dividiu
Levando muita gente boa pro covil
Nos perdoe, ó Deus, pelo terrorismo
O holocausto, a pornografia, a pedofilia
A mentira! O dinheiro mal adquirido e mal repartido
A discriminação racial, social, irracional...
Nos perdoe, ó Deus!" (O sangue de Abel - Fruto Sagrado)

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

VANDALISMOS...

Ontem teve jogo do Coritiba X Fluminense no estádio do Coritiba, Couto Pereira, em Curitiba.
O Coritiba perdeu e foi rebaixado. Torcedores indignados começaram a fazer atos de vandalismo e violência. Arrancaram cadeiras, placas de propagandas e atiraram contra árbitros e policiais. Houve confronto entre torcedores e policiais, e algumas pessoas ficaram feridas. O vandalismo continuou nas ruas, nos ônibus, nos tubos. Cenas lamentáveis! Cenas tristes de ver!
Com tudo isso, apenas fico me perguntando: será que somos de fato capazes de  receber uma copa do mundo e as olimpíadas aqui?
Esse vandalismo não ocorre apenas em Curitiba. Ocorre no Rio de Janeiro também, bem como em outras cidades. O brasileiro parece que não sabe torcer. Não sabe perder. Em um jogo sempre há um que perde e outro que ganha. Precisamos estar sempre preparados para perdermos.
Como será na copa? E nas olimpíadas? Se perdermos os jogos, vamos ir agredindo as torcidas adversárias?
Não acredito que irá mudar muita coisa até lá. Se até hoje não aprendemos a torcer, a sermos civilizados, não acredito que mudará alguma coisa até esses eventos...



quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

ALEGRIA QUE LOGO PASSA...



Hoje eu estava assistindo um jornal regional, e estavam passando uma matéria sobre uma casa do papai noel. Entrevistaram uma mulher que estava visitando essa casa, e ela disse mais ou menos assim: 'nessa época do ano tudo fica tão bonito... é tudo tão alegre... temos que aproveitar, pois essa alegria logo acaba...'
Fiquei refletindo nessa afirmação dela. Que alegria é essa, que depois do natal vai embora? Está certo que no natal algumas coisas ficam diferentes. Há enfeites por todos os lados, trazendo um pouco mais de cor, talvez até de alegria. Mas... será que os lindos enfeites, os corais de crianças cantando, as luzes, realmente trazem alegria? Fala-se tanto que natal é época de paz, onde todos se dão bem, todos se presenteiam. Mas que paz é essa? Que alegria é essa, que surge com objetos?
Parece que está faltando alguma coisa...
Como seria bom se pudéssemos viver em paz todos os dias do ano, não apenas no natal... como seria bom poder estar alegre, feliz, todos os dias do ano, e não apenas na época do natal.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

“SONHAR FAZ BEM!”

“Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para diante, vai ser diferente”. (Carlos Drummond de Andrade, poeta, 1902-1987)
Daqui pra frente vou acreditar que o mundo já está melhor, que o futuro já chegou, que todos os sonhos se realizaram e que somos todos felizes. Daqui pra frente, vou encontrar menos sofrimentos e mais prazer. Pessoas com casa, comida, dignidade, saúde, dinheiro e família que cuida. De hoje em diante haverá só ética nos negócios, na política, nos acordos e em tudo que se relacione a nós humanos. Pensarei que a mania de levar vantagem em tudo foi passado. Também vou aceitar a verdade como ela é, sem questionar, sem duvidar, sem querer levantar o tapete para olhar embaixo dele. Ou seja, não há mais motivos para desconfiar de alguém, em qualquer lugar, em qualquer momento da vida.
Daqui pra frente a justiça se fará sempre, com justiça. O fraco ficará forte, o cínico revisará seu modo de pensar, o egoísta terá lições de solidariedade. Os gordos finalmente vão conseguir emagrecer, choverá regularmente e nenhum jovem irá dirigir após usar bebida alcoólica. Não teremos novos casos de AIDS... E ninguém usará mais drogas.
Não haverá mais erros, nem meus, nem teus, nem dos outros. Nenhuma conta de telefone virá mais com erros que favorecem a prestadora de serviços, assim como 1 Kg terá 1.000 gramas na balança, o botijão de gás novo estará cheio, a gasolina será pura e os impostos justos. Ah, os impostos! Daqui pra frente não reclamaremos mais dos buracos nas estradas, pois saberemos votar. E os escolhidos continuarão a ser o que eram antes da eleição. Assim como quem conseguir o poder não se transformará sob a magia do manto das regalias inerentes. As pessoas sempre serão elas, com suas qualidades e seus defeitos, simplesmente. Não haverá mais frustrações, nem fofocas, nem fraudes, nem corrupção.
Todas as crianças estarão nas escolas e lá aprenderão sobre a vida, sobre as letras e como separar as coisas do bem das do mal, afinal é por isso que vão. Os objetivos serão cumpridos, as metas atingidas e os resultados entregues a todos. As doenças serão curáveis e morreremos de velhice e rindo da vida. As noites serão de sono, não de bagunça, som alto na avenida, bebedeiras, acidentes e violação do bem público. Os vizinhos apertarão as mãos em sinal de trégua. Todos cumprirão seus deveres ao invés de reclamar só direitos. O pouco já nos satisfará, porque perderemos essa teimosia de acumular. Acumular dinheiro, carros, imóveis, vantagens, aparência... Será coisa de antigamente.
Ninguém agirá com violência, com repressão, com tortura. Saberemos nossos limites e tal proeza receberá o nome de LIBERDADE. Nenhum pai de família ficará em botecos quando deveria estar em casa cuidando dos filhos em companhia da esposa.
O vivido servirá como experiência e não será esquecido, aprenderemos com ele. Os problemas que irão surgir terão origem apenas nas causas naturais e não na cabeça dos homens. Mentes e mãos agirão para nos proteger, jamais para nos trair. Daremos um jeitinho ainda, mas para o bem geral da nação.
A que horas vai tocar o despertador, hein?
(Autor: Sixto Carlo Bombardeli- médico)

terça-feira, 24 de novembro de 2009

AJUDA-ME NA MINHA FALTA DE FÉ...


Algumas vezes, no decorrer de minha vida, já tive algumas 'crises' em relação a fé.
Recordo de alguns momentos que de certa forma foram marcantes, tanto positivamente quanto negativamente. Lembro-me de uma vez quando eu estava com dor de ouvido, e minha amiga foi orar comigo, pedindo a Deus por cura. No momento em que ela se ofereceu para orar por mim, comecei a entrar em crise com meus pensamentos. Eu havia acabado de retornar do médico, e eu já sabia o diagnóstico. Então, eu comecei a pensar que os remédios iriam me curar, e não acreditei que Deus pudesse me curar naquele momento, sem os remédios.
Lembro também de uma vez em que eu estava com dor nas costas, e um senhor veio orar por mim. Ele primeiro abriu a Bíblia, e onde ele abriu, bateu o olho em um versículo e leu para mim. Não lembro exatamente qual versículo ele leu, mas lembro que falava de pecado. Na oração, esse senhor então disse que eu estava com dor devido a pecados... Ele orou algumas vezes, e a dor permaneceu. Por fim, eu 'omiti' a verdade, dizendo que a dor havia sumido, pois estava ficando constrangida por não ter recebido a cura.
Outra vez eu estava com a unha do dedão do pé encravada, e um senhor me disse que no dia que eu tivesse fé, minha unha seria curada.

Não dormi muito bem nessa noite que passou. Estou novamente com a unha encravada, e doeu demais de madrugada. Levantei, cortei um pedaço da unha, mas acabei apenas machucando mais, e a dor não passou. Voltei a deitar, e pedi a Deus para que curasse minha unha. Lembrei de Marcos 9.24: "eu creio, ajuda-me em minha falta de fé". Não queria perder a noite de sono por dor, e nem por crise. Então, pedi a Deus que fizesse com que eu voltasse a dormir, e não sentir mais a dor no dedo pelo menos de noite. E eu consegui voltar a dormir, e dormi bem o restante da noite. Hoje cedo tive que ir ao podólogo.
Eu creio em Deus. Creio em Seu poder de curar, de fazer milagres. Creio que Ele pode todas as coisas. Porém, sei que, por vezes, também me falta a fé. E parece que sempre de novo me esbarro nessa vontade de crer, com a falta de fé.
Já obtive respostas de oração imediatas, onde me assustei com a rapidez da resposta. Mas teve vezes que orei, orei, quase implorei, e nada mudou. Será que às vezes tenho fé, e outras não?
Sabendo de minha 'fragilidade', clamo a Deus por misericórdia. Que Ele também me ajude em minha falta de fé!
E prefiro crer que Deus tem também as Suas formas de agir. Que Ele age quando e como quer, e cura, faz milagres, quando Ele quiser. Eu quero crer, e quero presenciar milagres e curas em minha vida... mas eu quero também continuar crendo mesmo que eu não venha a ver curas e milagres.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

PEDIDO DE DESCULPA


Há alguns dias atrás eu havia postado nesse blog um quadrinho, onde eu tinha intitulado de "OMO FAZ, OMO MOSTRA". Nesse quadrinho havia uma foto do Michael Jacson moreno, e outra foto dele branco, com a foto de uma caixa de OMO no meio, escrito 'Brancura Total'.
Hoje cedo, ao abrir meu blog, me deparei com um comentário anônimo nessa postagem. O comentário dizia algo assim: 'que preconceito para uma evangélica'.
Me rotularam como preconceituosa...
Apaguei aquela postagem, pois não quero estar sendo 'motivo de tropeço' para ninguém. Não sei quem postou o comentário, porém não queria que as pessoas me interpretassem mal. De nenhuma forma tive a intenção de ser preconceituosa. Não sou preconceituosa quanto à cor de ninguém. Creio que somos todos iguais, sem distinção de raça ou cor. Coloquei aquele quadrinho porque havia achado 'engraçado', e para mim, seria uma brincadeira inocente. Não sei qual foi a inenção de quem criou o tal quadro, mas não tive intenção de ofender ninguém. Se, de alguma forma ofendi alguém, deixo aqui meu pedido de desculpas.
Nest blog posto pensamentos aleatórios, algumas divagações, e muitas vezes pensamentos e ideias não completamente formadas, mas que, de alguma forma, sinto vontade de compartilhar com os leitores deste blog.
Agradeço a todos os que postam por aqui! Sintam-se livres para opinar e comentar em minhas postagens!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

E ESTÁ CHEGANDO O NATAL...


Mal começamos o mês de novembro e o comércio já anuncia que mais um ano está se findando.
Podemos notar em lojas, shoppings, nas ruas, que o natal está chegando. São decorações por toda a parte, em todos os cantos.
Há propaganda em tudo que é lado, anunciando a data que está por vir. Em cada natal surgem enfeites novos, diferentes. Alguns enfeites que as pessoas usaram no ano anterior, não serão usados neste ano, por já estarem 'fora da moda'.
Nessa época do ano há um consumismo muito grande, muitas vezes desenfreado. Ouvimos em toda parte que devemos comprar, devemos consumir, devemos presentear. E nos são oferecidos inúmeras formas de pagamento.
'Compre um carro, e comece a pagar daqui a 2 meses...' 'compre roupas e comece a pagar daqui a 45 dias...' 'compre agora e só pague depois do natal'. E por aí vai.
Somos bombardeados, e querem colocar na nossa cabeça que precisamos consumir. E muitas vezes acabamos consumindo, mesmo sem precisar. Caímos na tentação de achar que não será tão difícil pagar o que compramos, e acabamos comprando mais do que de fato precisaríamos.
E aí surge a inadimplência. Pessoas que se afundam em dívidas, por não conseguirem pagar o que compraram.
E o natal, aquela data que deveria ser uma 'data de paz', acaba trazendo inúmeras preocupações e incômodos.
Confesso que gosto de, nessa época, passear nos shoppings para admirar as decorações de natal. Vejo que as pessoas possuem uma criatividade incrível, e a cada ano as decorações vão ganhando mais brilho, ficando mais atraentes.
Mas, em meio a tanto brilho, a tanto consumismo, percebo que as pessoas muitas vezes nem sabem o que é de fato o natal. Muitos associam o natal ao papai noel, o bom velhinho. Natal não são só presentes, não é só brilho.
Natal é a lembrança de que Jesus nasceu. De que Ele veio ao mundo, para trazer a paz: "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz" (Isaías 9.6).
Desejo que, nessa época que antecede o natal, possamos lembrar daquele que nasceu, e mais tarde morreu, para que nós pudéssemos ter vida!
Termino este post com a letra da música "Uma noite de paz" (Banda Fruto Sagrado):

Você já esqueceu do aniversário de quem você ama?
Já esqueceu o nome de alguém que te ama?
Mas chega o fim do ano e é tudo igual,
Eu acho que vocês acham que eu sou débil-mental!
São mais de 300 dias debaixo da opressão
Medo da guerra, da bala perdida, medo do medo da solidão,
Eu vejo os shoppings lotados, ruas lotadas,
Avenidas decoradas por corações vazios...

Feliz Natal! Pra criança deixada na rua...
Noite Feliz! Praquele que não tem o que comer!
Feliz Natal! Pro pai desempregado...
Noite sem paz! Praquele que a morte veio ver!
Uma noite de paz! Uma noite...

Estava desconfortável, escuro e frio...
O cheiro dos animais invadia o curral
Onde a virgem Maria trouxe ao mundo
O Príncipe da Paz, o único capaz
De transformar o caos em harmonia,
A tempestade em calmaria,
Corações sujos como aquela estrebaria
Em um lindo shopping center decorado pro Natal...

Feliz Natal! O natal que muita gente esqueceu!
Noite Feliz! Pra quem ainda não veio pra festa!
Feliz Natal! O mundo é quem ganhou o presente!
Noite sem paz!
Pra quem esqueceu daquele que nunca te esqueceu!

Feliz Natal! Deixe-o nascer em seu coração!
Noite Feliz! O passado fica pra trás!
Feliz Natal! Você é o presente de Deus!
Noite de paz! A morte morreu de medo ao ver Jesus nascer!
Uma noite de paz! Muito mais que uma noite de paz!

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

AMOR INCONDICIONAL


Ontem um amigo meu colocou no seu orkut a seguinte frase: "Deus me ama e te ama incondicionalmente!"
Fiquei um tempo refletindo sobre essa frase. Ontem eu 'pisei na bola' com Deus. Repeti um 'erro', que já tinha feito várias vezes, e várias vezes já havia me arrependido de tal 'erro', prometendo a mim e a Deus que nunca mais iria fazer a mesma coisa. Aí de repente 'errei' novamente. Logo leio essa frase, que Deus me ama incondicionalmente.
Por vezes não consigo compreender esse amor. Como poderia alguém me amar tanto assim, ao ponto de me aceitar de volta, e de continuar me amando, mesmo quando eu 'piso na bola' conscientemente?
Fico pensando no meu trato com as pessoas. Se alguém pisa na bola comigo, é difícil para mim dar uma segunda chance. Às vezes até perdoo, mas parece que o relacionamento não é a mesma coisa. É difícil conseguir voltar a confiar em alguém que pisou na bola mais de uma vez. E se essa pessoa prometeu melhorar, ou não cometer mais tal erro, e por um deslize acabar errando na mesma coisa, se torna ainda mais difícil.
Ontem fiquei refletindo sobre Davi. Davi era um homem segundo o coração de Deus. E Davi adulterou, matou... Porém, Davi se arrependeu, e até escreveu salmos que retratam esse arrependimento. Fiquei me perguntando se Davi errou em outros pontos depois que ele se arrependeu de ter matado e adulterado. Se ele continuou pisando na bola com Deus... Pensei em Paulo, que disse que "o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço" (Rm 7.15) e fiquei também me perguntando qual seria esse 'espinho na carne', que Paulo se referiu em II Coríntios 12.7: "e, para que me não exaltasse demais pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de que eu não me exalte demais" .
Por vezes não consigo compreender por quê Deus me amaria tanto, e continuaria me amando mesmo depois de tantas pisadas na bola.
Às vezes temo estar fazendo da graça de Deus uma 'graça barata'. Temo estar confundindo arrependimento com remorso. E às vezes penso quantas vezes Deus ainda vai ser capaz de me perdoar e continuar me amando.
Esse amor é algo que vai além de nossa compreensão, de nosso entendimento, daquilo que nossa mente humana possa imaginar. Esse amor de Deus, incondicional, quase incompreensível, é algo magnífico! É esse amor que nos abraça quando erramos, que nos levanta quando caímos, que nos perdoa quando 'pisamos na bola', que nos aceita de volta quando queremos voltar.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

NÃO VOS CONFORMEIS...


A Daniela (www.danizits.blogspot.com) escreveu um texto em seu blog com o seguinte título: "O que temos achado engraçado ultimamente?", onde ela fala sobre programas 'pornográficos', entre outros, que estão passando na TV em horários em que a maioria da criançada ainda está acordada, em frente à telinha.
Esses programas me deixam indignada. Já em novelas das 18h podemos ver cenas de 'quase sexo', e à medida que o horário vai avançando, as cenas vão ficando piores, mais 'picantes'. Se ligamos a TV às 22h, iremos nos deparar com pegadinhas picantes. E as coisas só vão piorando.
Na internet a pornografia aparece em uma diversidade de sites. Há alguns meses atrás, fui no google buscar uma imagem de mulheres. Minha ideia era conseguir uma imagem de uma rodinha de mulheres conversando ou fazendo tricô, ou algo assim, para colocar no Boletim Informativo da igreja onde trabalho. O Pastor estava do meu lado quando eu fui efetuar a busca de uma figura no google. No campo de pesquisa digitei a palavra 'mulheres', e logo apareceu uma infinidade de fotos de mulheres nuas e semi-nuas. Nem preciso dizer que meu rosto na hora ficou vermelho de vergonha, pois o pastor viu as imagens que apareceram na tela. Há alguns dias atrás estava à procura de uma figura que representasse uma inversão de valores. Digitei a palavra 'inversão', e o que me apareceu foi uma infinidade de fotos de pessoas fazendo sexo. Não há controle sobre o que é postado na internet. E as crianças podem ter acesso a todas essas coisas, com apenas um clique. E não adianta os sites quererem impedir a entrada de crianças nesses sites pedindo a data de nascimento, pois é muito fácil mentir a idade, assim como muitas crianças tem feito para entrar no orkut.
Até nos programas de 'humor' o 'sexo' está em evidência. Parece que o brasileiro não sabe mais fazer programa de TV se não houver cenas de sexo ou conversas sobre sexo.
Ultimamente temos visto na TV reportagens sobre 'flagras' de adolescentes fazendo sexo em banheiros de escolas. Aconteceu no Paraná, e em outras cidades de nosso país. Percebemos que os adolescentes começam sua vida sexual cada vez mais cedo. Enquanto achamos que eles estão apenas 'saindo das fraldas', já estão iniciando sua vida sexual ativa. E isso parece que está fugindo do controle dos pais, pois a maioria se mostra 'pasmo' quando sabe de envolvimento de seus filhos em 'escândalos'.
Com tudo isso, me preocupo com o presente e o futuro das crianças e dos adolescentes. Parece que os pais estão perdendo o controle, a autoridade sobre seus filhos, e estes fazem o que querem, na hora em que querem, sem que alguém imponha a eles qualquer limite. Não adianta empurrar a educação dos filhos para a escola. Acredito que ainda cabe aos pais o dever de educar seus filhos, de conversar abertamente com eles sobre todos os assuntos: violência, sexualidade, vandalismos... Não adianta falar em tom de legalismo e de probição em tudo, mas ter um diálogo aberto, franco, mostrando as possíveis consequencias de cada ato.
O pior de tudo é que muitas vezes acabamos nos acostumando com a violência, com o fato de saber que crianças de 11, 12 anos estão iniciando sua vida sexual, ao ponto de começarmos a achar que tudo isso é extremamente 'normal'.
Não, isso tudo não é normal. Não deveria de ser normal. Não deveríamos de nos acostumar com essas notícias. Não deveríamos de apenas fechar os olhos e fingir que está tudo bem. Dessas relações, tem nascido crianças, que serão criadas por outras crianças, que não tiveram a chance de crescer e de amadurecer, porque resolveram pular uma etapa da vida, não se permitindo ser criança para se tornarem 'adultos'. E o que será dessas crianças geradas por outras crianças? Quem cuidará delas? Quem as educará? E a cabeça dessas crianças geradoras de crianças, como fica? Ao saber que jogaram pro alto uma vida inteira...
Não, não consigo me acostumar com essas coisas. É comum, mas não é normal.
Ainda hoje nos é feito o convite: "Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus" (Romanos 12.2).

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

PARABÉNS, MOISÉS!


Moisés, meu querido irmão!
Quero te desejar um feliz aniversário!
Que Deus abençoe sua vida a cada novo dia!
Felicidades!
Te amo muito!
Saudades...

"Eu aprendi, sem a gramática, que saudade não tem tradução..."

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

INVERSÃO...

Se as coisas foram feitas para serem usadas, e as pessoas são para ser amadas... porque insistimos em amar as coisas e usar as pessoas?

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

ESVAZIAR-SE...

"Esvaziar-se de si mesmo é, muitas vezes, chegar mais perto de Deus".

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

NOSTALGIA...


Nostálgica que estou, me lembrei de um verso citado no filme "Menino Maluquinho". Lembro que assisti esse filme na escola, há alguns bons anos atrás. Lembro que na época, eu anotei esse verso, e recitava ele toda hora, de tão lindo que tinha achado. Lembro que eu não entendi muito bem esse verso, mas mesmo assim gostava dele. E até hoje me lembro do que o menino maluquinho recitou no filme. Eis aqui o seu verso:
"Todo lado tem seu lado.
Eu sou o meu próprio lado.
E posso viver ao lado
Do seu lado que era meu"

terça-feira, 6 de outubro de 2009

MEIO ASSIM, SEI LÁ...


Ultimamente estou um tanto quanto estranha. Meio assim, sei lá...
Como diz a música da Elis Regina:
"Ontem de manhã quando acordei
Olhei a vida e me espantei
Eu tenho mais de 20 anos
E eu tenho mais de mil perguntas sem respostas"

Estou me sentindo assim ultimamente. Estou com mais de 20 anos, e tenho mais de mil perguntas sem respostas.
Estou num período onde quero descobrir porque certas coisas acontecem, mas não consigo entender nada, e fico em busca de explicação.
Às vezes me sinto sem chão, me sinto perdida, e parece que nunca vou encontrar as respostas para essas perguntas. Ao invés de encontrar as respostas, vão surgindo novas perguntas, que, por sua vez, ficarão sem respostas.


"Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu" (Salmo 42.5)

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

terça-feira, 29 de setembro de 2009

NO QUE EU CREIO


Creio que sou pecadora
Creio que minha natureza é pecadora, pois “não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque” (Ec 7.20), e que pelo pecado estou condenada.
Porém, pela morte de Cristo, meus pecados foram perdoados na cruz, e desde então, estou livre da condenação eterna (Rm 8.1), em Cristo, sou “nova criatura, e que as coisas antigas já passaram, pois tudo se fez novo” (II Co 5.17).

Creio em Deus Pai, o Criador
Creio em Deus que é o Criador de todas as coisas (Gn 1.1), e no Deus que é “único, do qual vem todas as coisas” (I Co 8.6).
Creio que fui criada à imagem e semelhança de Deus (Gn 1.26).
Creio que ele é a causa da qual todos os efeitos derivam, que ele é a vida da qual toda vida deve sua existência.
Creio e aceito a existência de Deus não por provas, mas por fé, pois sei que ele só pode ser conhecido por sua revelação e não pela nossa razão (Ef 2.2-5). Porém, sei que a crença de Deus não é irracional, pois há provas sólidas para crer em sua existência, de forma que em toda a minha volta há fenômenos que se tornam inexplicáveis se eliminarmos o conceito Deus (Rm 1.20).
Creio que Deus é infinito, e que está além de nós. Assim, não o podemos conhecer sem que Ele decida ser conhecido. Por isso, Deus não se contentou em se revelar somente através do universo e da natureza por ele criados. Ele mesmo veio em pessoa ao nosso mundo, enviando seu Filho Jesus Cristo, e que pelo Seu Filho, nós também pudéssemos chamá-lo de Pai (Mt 6.9), isto é, se crêssemos em seu nome (Jo 1.12).

Creio em Jesus Cristo, o Santificador
Creio que Deus, ao enviar Jesus Cristo ao mundo, ele mesmo se tornou pessoa, sem deixar de ser Deus. Esse homem-Deus viveu aqui na terra, foi visto, ouvido, tocado, que nasceu de uma mãe humana, porém foi concebido pelo Espírito Santo (Mt 1.18), que foi menino, adolescente, adulto. Que teve fome, sede, que se cansou, que chorou, que teve sentimentos, mas não deixou de ser Deus.
Creio que esse Jesus Cristo, o homem-Deus, foi gerado, e não criado a partir do nada. Creio que Jesus Cristo veio a este mundo para morrer, para que com sua morte, nós pudéssemos ter vida (Jo 3.16).
Creio que, com sua morte cruel, meus pecados foram perdoados na cruz (I Pe 2.24), e assim, eu pudesse ser conduzida à Deus (I Pe 3.18), sendo reconciliada com ele, para obter o perdão gratuito de Deus e obter a salvação eterna (Ef 2.8).

Creio no Espírito Santo, o Consolador
Creio que após a morte, ressurreição e ascensão de Jesus Cristo, Deus enviou o seu Espírito Santo, em Pentecostes (At 2.1-4), que havia sido prometido (Lc 14.26), por meio de Jesus Cristo, para nos consolar.
Creio que o Espírito Santo também é Deus, e ao mesmo tempo é também pessoa.
Creio que ele participou no ato da criação (Gn 1.2) e compartilha de sua renovação (Sl 104.30).
Creio que o Espírito Santo foi enviado para que mantivéssemos comunhão ininterrupta com o Pai, e que por ele, Jesus Cristo mora em nossos corações (Ef 3.16-17). Quando Jesus Cristo estava na terra, as pessoas não poderiam estar todo o tempo com ele, por isso o Espírito Santo foi enviado.

Creio na Trindade
Assim, creio que Deus é três, ao mesmo tempo em que é um só, e que fomos “eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo” (I Pe 1.2).

Creio na comunhão dos santos
Creio que a Igreja militante na terra e a Igreja triunfante no céu, mesmo que não tenham comunhão ativa uma com a outra, ainda está unida pelo Espírito Santo; que a Igreja de Cristo é uma comunidade, que expressa o que temos em comum como Povo de Deus. Creio na Igreja como corpo de Cristo e que “há um só corpo em um só Espírito” (Ef 4.4-6), e que é esse Espírito que cria e mobiliza esse corpo.

Creio na ressurreição dos mortos e na vida eterna
Creio que quando Jesus voltar, irei para junto dele, e que viverei eternamente ao seu lado. Não porque mereço, mas por graça, porque compreendi o sentido de sua morte e ressurreição, e decidi viver por ele aqui na terra.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

VI, OUVI, DESCI...


O livro de Êxodo narra a saída dos israelitas do Egito e os anos em que viveram no deserto antes de chegar a Canaã, a Terra Prometida.

Deus 'adota' esse povo, como sendo seu povo especial.

Em Êxodo, encontramos a história de Moisés. Moisés, quando neném, foi jogado no rio por sua mãe, e foi resgatado pela filha do Faraó. Cresce tendo uma educação para ser faraó.

Quando adulto, Moisés mata um egípcio e o esconde na areia, e após ser descoberto, fugiu para uma terra chamada Midiã.

Lá, ele se casa com uma das filhas do sacerdote, e é encarregado de apascentar as suas ovelhas.

Anteriormente, Moisés vivia num palácio, tendo tudo o que queria, agora, cuida de ovelhas no deserto. Ovelhas que nem são suas.

Deus se revela a Moisés de maneira especial no capítulo 3, versículos 1-15 do livro de Êxodo.

O texto nos diz que Moisés está ocupado em seus afazeres, cuidando do rebanho.

Deus então se revela, se manifesta. Deus atrai Moisés pela curiosidade, com uma sarça ardente, que não se consumia. Deus não podia se revelar pessoalmente, porque ninguém pode ver sua face e continuar vivendo. Escolheu então se revelar através do arbusto. Era comum os arbustos secos se queimarem no deserto, devido ao calor intenso. Mas era milagre um arbusto não se consumir com o fogo. Deus chama Moisés pelo nome e pede para ele tirar as sandálias dos pés. Tirar a sandália dos pés era costume das culturas e religiões orientais, no sentido de reverência, respeito, ao entrar em lugares sagrados.

A partir desse momento o passado de Moisés não tem mais domínio sobre sua vida. É o momento tranformador da vida de Moisés.

Deus manifesta o seu propósito e comissiona Moisés. Deus se revela como um Deus presente, que atua na história do povo: Vi a aflição do meu povo, ouvi o seu clamor, e desci para livrá-lo. Essa é a diferença de Deus e dos 'deuses': os deuses nada fazem. Deus, porém, vem ao encontro do ser humano para o livrar das suas angústias e sofrimentos.

A terra faz parte da promessa feita a Abraão - é um presente de Deus para seu povo.

Deus envia Moisés, e ele dá desculpas, perguntando: 'quem sou eu'? E Deus responde dizendo quem Ele é! Deus promete que sempre estará com Moisés. Promete libertar o povo da escravidão. Essa libertação deve culminar numa profunda intimidade com Deus, para que não retorne a vida de escravidão.

Deus então revela seu nome: Eu sou o que sou.

Ele é único - nada se parece com Ele. Ele é o Altíssimo, o Soberano, sem nenhuma comparação. Está acima de tudo. Ele foi, Ele é, Ele sempre será!

Deus se revela como o passado, o presente e o futuro, o que será lembrado de geração em geração.

Deus se manifesta agindo no decorrer da história. Deus é o Deus que se revela para atender o clamor do povo. Ele dá segurança em meio ao mundo de insegurança.

Moisés quer saber o nome de Deus para poder mencionar diante dos israelitas como prova de que Deus tinha mesmo se revelado e dado autoridade para falar de sua parte.

Nos tempos antigos, o nome estava relacionado com a essência da pessoa, expressava o seu caráter. Conhecer o nome de alguém era ter acesso ao seu próprio caráter.

EU sou o que sou significa: Eu sou aquele que existe realmente e por si mesmo, não como os falsos deuses que não são e nada podem. EU sou aquele que está sempre com você para salvá-lo.

A misericórdia de Deus é um de seus maiores atributos. Por causa dela é que Deus percebe o sofrimento do seu povo, vê a sua opressão, ouve o seu clamor.

Deus é o Deus que esteve presente com Moisés, o que libertou o povo da escravidão. É também o Deus que está conosco hoje, que nos liberta. Ele não é o 'cara lá de cima', que está distante, mas é um Deus que está perto. Ele continua ouvindo o seu povo. Continua atento à nossa voz, ao nosso clamor.


quarta-feira, 2 de setembro de 2009

E EU QUERO CONTINUAR CRENDO...


Frequentemente me pego pensando sobre o que é crer. O que é crer em Deus? Como crer num Deus que não vemos, que não podemos tocar, mas mesmo assim dizemos que O podemos sentir? E como crer que esse mesmo Deus, a quem não vemos, pode efetuar curas e milagres?

Isso se chama fé. Fé é justamente poder crer naquilo que se não vê. Eu creio nesse Deus. Creio que foi Ele quem criou todas as coisas, inclusive a mim. Creio que foi Ele quem deu existência ao universo, e que é através dEle que todas as coisas passaram a existir.

Infelizmente, percebo que algumas pessoas acabam cometendo abusos, e teimam em dizer que foi por vontade de Deus, ou porque Deus mandou. Há pessoas que fingem curas, milagres, dizendo que Deus quem curou. E também há pessoas que dizem que se alguém não recebeu a cura, é porque não tinha fé. Quem pode medir a fé de outro? Quem pode dizer se alguém tem fé ou não? Ninguém pode fazer isso. Ninguém tem esse direito.

Por esses motivos, costumo dizer que em partes sou uma pessoa que crê, não crendo. Eu creio no Deus que tem poder para fazer todas as coisas. Mas não creio num Deus que pode ser mandado por nós. Não creio num Deus que deve nos obedecer. Não creio num Deus que irá curar ou fazer milagres só porque eu quero. Eu creio num Deus que é soberano, e que tem a liberdade de curar ou não. Não creio também num Deus manipulador, que faz de nós suas marionetes. Eu creio num Deus que nos deixa livres, e que nos criou para a liberdade. Creio num Deus que não acaba com todo mal, simplesmente pelo fato de que Ele deu a liberdade para os homens fazerem o que desejam. Se Deus fosse acabar com toda a maldade existente, nos tornaríamos marionetes em suas mãos, que só faríamos o que Ele mandaria. Creio num Deus que não obriga ninguém a segui-lo, a amá-lo, mas que aceita a todos aqueles que desejam assim segui-lo. E creio que Ele ama a todas as pessoas. Que esse amor é incondicional. Que Ele ama até mesmo aqueles que não querem saber nada dele. Creio nesse amor que é incomparável.

Há pessoas que acabam também exigindo dinheiro dos 'crentes', prometendo bênçãos em troca. Não creio num Deus que exige de nós que demos o que temos e o que não temos, em troca de bênçãos. Eu creio num Deus que me deixa livre para contribuir ou dizimar, para a continuidade do seu Reino aqui. E creio num Deus que pode me abençoar independente de eu dar dinheiro ou não. Não creio num Deus que se pode barganhar.

Me entristeço quando ouço que as pessoas colocam todas as pessoas que creem num mesmo 'saco'. Os 'crentes' não são todos iguais. Há sim aqueles que tem feito barbaridades dizendo ser em nome de Deus. Mas há aqueles que vivem uma fé verdadeira, e que não se podem comparar com os demais.

Assim, eu creio num Deus que é dinâmico e criativo. E, eu quero continuar crendo nesse Deus, que além, de tudo, é simples, e, apesar de complicarmos as coisas, é fácil de entender.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

AINDA QUE EU ANDE...


Quando ocorreu a minha 'confirmação' (equivalente à crisma na Igreja Católica), no ano de 1999, escolhi um versículo bíblico para colocar na minha certidão. Um versículo que estaria me acompanhando em toda minha vida, e que me faria lembrar desse dia, onde confirmei, perante parentes, amigos e comunidade, a minha fé em Jesus Cristo.

O versículo que escolhi foi o do Salmo 23.4, onde diz: "Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Tu estás comigo, a tua vara e o teu cajado me consolam".

O tempo passou rápido demais, de forma que nesse ano, irá completar 10 anos que ocorreu a minha 'confirmação'. Às vezes me esqueço desse versículo que escolhi. Mas de alguma forma ele volta à minha mente.

Muitos acham que a vida cristã deverá ser um mar de rosas, onde só acontecerá coisas boas. Mas, assim como as rosas tem seus espinhos, a vida cristã não será sempre tão fácil.

Percebo que nos dias de hoje se fala muito em vida sem sofrimentos, em vida próspera, como se a vida fosse fácil. Verdade é que Jesus disse que quem quisesse segui-lo, que antes deveria tomar a sua cruz, para então segui-lo. Ninguém disse que a vida cristã seria uma vida fácil. É certo que há momentos de calmaria, de tranquilidade, onde parece que estamos de fato vivendo uma vida num mar de rosas. Mas há aqueles momentos não tão bons, onde parece que estamos andando num vale de sombras. Jesus não nos prometeu livrar de todos sofrimentos, nem do vale de sombras. Mas, prometeu estar conosco, mesmo num vale de sombras da morte. Ser cristão, andar com Cristo, não significa estar livre de problemas. A diferença está no fato de que não caminhamos sozinhos. Está na certeza de que mesmo quando as coisas não estão bem, mesmo quando estamos no fundo do poço, alguém está lá conosco, nos dando força, nos encorajando a continuar caminhando. Aliás, acho interessante essa expressão 'no fundo do poço'. Quando se está num poço, a única saída que temos, é a de olhar para cima, para buscar o socorro.

Há momentos que acabo esquecendo do sentido do versículo que escolhi em minha 'confirmação'. Mas, é bom saber que Deus me lembra sempre de novo que Ele está comigo em todos os momentos, até mesmo quando eu estiver passando por um vale escuro.


quinta-feira, 27 de agosto de 2009

E ASSIM VOU VIVENDO...

(Galera na despedida do Welton)

(Galera na despedida da Arlete)

Depois de duas semanas sem aulas devido a gripe suína, as aulas do meu curso de administração retornaram na semana passada, dia 17/08.


Estou achando interessante fazer esse curso. Além de estar aprendendo coisas novas, estou relembrando coisas que aprendi no meu Ensino Médio. Estou tendo aulas de matemática, e fiquei assustada ao perceber que eu não lembrava mais de quase nada. Essa semana fizeram a nossa turma participar também da Olímpiada de Matemática, que é uma prova que todos os alunos de escolas públicas fizeram. Acredito que me ferrei na prova. De 20 questões, se consegui resolver 5 foi muito. O restante, foi no 'chutômetro' mesmo.


Fazendo esse curso, me deu uma vontade de fazer uma faculdade de administração. Pretendo me inscrever pro vestibular da UFPR e fazer o vestibular no final do ano. Do jeito que estou, é bem provável que eu não passe, mas pretendo prestar para saber como está meu conhecimento.


Ainda estou tentando me acostumar com essa rotina de trabalhar de dia e estudar à noite. Já fazia mais de um ano que eu estava sem estudar à noite. Ando meio cansada, meio zumbi, mas estou sobrevivendo. Ontem nem fui na aula, devido ao cansaço. Quero que chegue logo o feriado de 07 de setembro, pra dar uma descansada.


Falando em feriado de 07 de setembro, aqui em Curitiba dia 08 é feriado também. Então, vai ser um feriadão. Ótimo pra descansar mesmo. Eu iria receber visita da Raquel nesse feriado, mas infelizmente ela não poderá vir. O jeito vai ser ficar por aqui mesmo, dormindo até bem tarde e batendo perna pela cidade.


Esse mês foi um mês de despedidas. O Welton foi para a Noruega, para fazer um intercâmbio de 10 meses lá. A Arlete foi para o nordeste, para assumir uma comunidade por lá. Ao mesmo tempo em que meu coração se alegra por eles, também se aperta, pela saudade. No caso da Arlete, foram 5 anos e meio de convivência. Bem, quero aproveitar e desejar que Deus esteja abençoando a vida do Welton na Noruega. Que seja um tempo especial, de aprendizados, de novas experiências, de fazer novas amizades, e de deixar Deus agir. Que Deus assim também esteja cuidando da Arlete, capacitando ela para o ministério, e mostrando a ela a Sua vontade. Que ela seja usada como instrumento nas mãos de Deus, para anunciar das Boas Novas. Que também seja um tempo de aprendizado e de conhecer novas pessoas.





Abraços a todos que passam por aqui ^^






quarta-feira, 26 de agosto de 2009

FELICIDADE...


Estava lendo o blog do meu professor, Carlos Alberto, e li seu post sobre felicidade. Ele sugere que os seguidores do blog dele também façam uma lista das coisas que nos fazem feliz.

Pensei também sobre o que é felicidade. Será que de fato a felicidade existe? Parece que a felicidade está tão banalizada nos últimos tempos, assim como o amor também está. No mundo em que tudo é relativo, a felicidade também se tornou relativa.

Acredito que ser feliz é poder encontrar alegria e encantamento nas pequenas coisas. Talvez não seremos felizes de fato se esperarmos pra sentir alegria somente nas coisas grandiosas.

Esses dias estava lendo na Revista Planeta uma entrevista com o Patch Adams, o que inspirou o filme o "Amor é Contagioso". Patch Adams fala rapidamente sobre depressão, e diz que depressão é uma doença inventada pela medicina. Que é mais um meio de se ganhar dinheiro. E ele comenta que quem tem amigos e comida, tem tudo e é feliz. Que quem procura psicólogo, é porque não tem amigos. Talvez não seja exatamente isso que ele disse, mas é algo nesses termos.

De certa forma, concordo com a opinião dele. Parece que hoje em dia é muito mais fácil estar deprimido do que feliz. E talvez muitas vezes se deve ao fato de não termos com quem conversar, e com quem copartilhar nossas vidas.

Pra mim, felicidade é poder estar com os amigos. É poder ficar horas conversando, rindo, chorando, compartilhando da vida. Felicidade é poder chegar em casa depois de um dia de trabalho, e tomar aquele banho gostoso. É poder chegar da aula à noite, e deitar na cama quentinha. É poder sair aos parques, e contemplar a criação, a natureza. É poder parar para olhar o pôr-do-sol. Ficar olhando as crianças, e ver o quanto são espertas. É poder dar aquele abraço gostoso em um amigo, um parente. É também poder ter os meus momentos sozinha, para pensar e planejar minha vida. Minha felicidade é construída nessas pequenas coisas, que dão sentido à minha vida, que me trazem a alegria de viver, e que me impulsiona a continuar caminhando, mesmo quando a vontade é de largar tudo e sair correndo.

E, além de tudo, a minha felicidade é poder me sentir cuidada por um Deus que sabe de todas as coisas!

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

E OS PARABÉNS VÃO PARA...



Nos próximos dias, estarão ficando mais velhos, ops, mais experientes, minha cunhada Jamile, no dia 21/08, minha mãe, no dia 23/08, meu irmão Tiago e meu primo Egont, no dia 24/08.


Algumas pessoas não gostam de comemorar a data do aniversário, pois fazer aniversário significa que estamos ficando mais velhos.


Mas, mais do que lembrarmos que estamos ficando 'mais velhos', é bom poder olhar para trás, e perceber o quanto fomos cuidados, e agradecer pela vida que vivemos até aqui. É sempre bom também poder comemorar esse dia com a família, com os amigos, com aqueles que nos querem bem, pois são eles que ajudam a tornar a vida mais fácil e mais bela.


Quero deixar aqui o meu carinho e o meu abraço a cada um de vocês: Jamile, mãe, Tiago e Egont. Não poderei dar meu abraço pessoalmente em nenhum de vocês, mas saibam que vocês todos estão em meu coração.

Quero terminar 'cantando' uma música, que gosto muito:

"Feliz, feliz aniversário! Parabéns para vocês! Hoje é dia de festa e de alegria! Este dia é todo de vocês! Abram os braços, me deem suas mãos, para que eu possa dar-lhes os meus parabéns. Parabéns, parabéns, foi tão bom vocês nascerem"



Desejo que Deus esteja abençoando a vida de cada um!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

VISLUMBRES DE UM CRIADOR


O elefante é o único animal cujas pernas dianteiras se dobram para frente. Por quê? Porque de outra forma seria difícil para esse animal levantar-se, por causa do seu peso.
Por que os cavalos, para se erguerem, usam as patas dianteiras, e as vacas, as traseiras? Quem orienta esses animais para que ajam dessa maneira?
Deus. E é esse mesmo Deus que coloca um punhado de argila no coração da terra, e através da ação do fogo transforma-a em formosa ametista de alto valor. Esse mesmo Deus que coloca certa quantidade de carvão nas entranhas do solo, e, mediante a combinação do fogo e a pressão dos montes e das rochas, transforma esse carvão em resplandecente diamante, que vai fulgurar na coroa dos reis ou no diadema dos poderosos!
Por que o canário nasce aos 14 dias, a galinha aos 21, os patos e gansos aos 28, o ganso silvestre aos 35 e os papagaios e avestruzes aos 42 dias? Por que a diferença entre um período e outro é sempre de sete dias?
Porque o Criador sabe como deve regular a natureza e jamais comete engano. Ele determinou que as ondas do mar se quebrem na praia à razão de 26 por minuto, tanto na calma como na tormenta. Aquele que nos criou pode também nos dirigir. Somente aquele que fez o cérebro e o coração pode guiá-los com êxito para um alvo útil.
A insondável sabedoria divina revela-se ainda nas coisas que poucos notam: A melancia tem número par de franjas. A laranja possui número par de gomos. A espiga de milho tem número par de fileiras de grãos. O cacho de bananas tem, na última fila de bananas, e cada fila de bananas tem uma a menos que a anterior. Desse modo, se uma fileira tem número par, a seguinte terá número ímpar.
A ciência moderna descobriu que todos os grãos das espigas são em número par, e é admirável que Jesus, ao se referir aos grãos, tenha mencionado exatamente números pares: 30, 60 e 100. Pela sua maravilhosa sabedoria e graça, é assim que o Senhor determina à vida que cumpra os propósitos e os planos dele. Somente a vida sob o cuidado divino está a salvo de contratempos.
Outro mistério que a ciência ainda não descobriu: enormes árvores, pesando milhares de quilos, apoiadas em apenas poucos centímetros de raízes. Ninguém até agora conseguiu descobrir esse princípio da sustentação a fim de aplicá-lo em edifícios e pontes.
Mas há maravilha ainda maior. O Criador toma o oxigênio e o hidrogênio, ambos sem cheiro, sem sabor e sem cor, e os combina com o carvão, que é insolúvel, negro e sem gosto. O resultado, porém, é o alvo e doce açúcar.
Esses são apenas alguns vislumbres de um Deus sábio e amoroso. Esse mesmo Deus que realiza tais maravilhas no mundo que Ele criou, pode também efetuar em nós um milagre ainda muito maior. Ele pode dar-nos um novo nascimento, fazendo novas todas as coisas. Ele pode tornar nossa vida triste, inútil e insípida, e torná-la alegre, útil e plena de significado para a glória dEle.
Portanto, não se desespere. Não importa quão grave seja a sua condição física, moral ou espiritual. O Senhor Jesus, que “ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre”, só Ele tem a última palavra. Você pode experimentar um milagre! Tão somente creia nEle, e coloque sua vida nas mãos dEle. A Bíblia diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho, para que todo aquele que nEle crer não morra, mas tenha a vida eterna”. João 3.16 (Fonte: Amor Sem Fronteiras - Alcides Jucksch)

terça-feira, 11 de agosto de 2009

A MINHA ALMA TEM SEDE DE DEUS...


(meditação baseada no Salmo 42)

O salmista compara seu desejo de estar na presença de Deus com a sede de um animal. Ele vê o animal à procura de água sem encontrá-la.
Ele próprio se vê sedento, seco, profundamente desejoso de Deus. Ele sente saudade de Deus, de estar na sua presença. Ele chora dia e noite, perguntando: Deus, onde estás?
O salmista se encontra longe dos cultos e do templo do Senhor e ele se lembra dos dias que buscava e louvava a Deus com a multidão. Sua principal alegria era estar perto de Deus.
Por estar distante de Deus, ele sofre, e sua alma se abate. Ele olha seu passado e lamenta. Ele olha só para si mesmo e sofre, pois se vê sozinho.
Até que ele olha para Deus. Essa mudança de olhar faz toda a diferença. Ao olhar para Deus, ele encontra esperança, e sabe que, apesar do sofrimento, Deus sempre está com ele – mesmo que possam haver evidências que não confirmem essa presença de Deus.
Com essa atitude, de olhar para Deus, o sentimento do salmista muda. Ele passa a olhar com confiança para Deus, e resolve dar um basta à sua tristeza. Antes ele falava sobre Deus, agora ele fala com Deus.
O salmista se derramou para Deus e não escondeu seus sentimentos e sua tristeza. Ele sabia de que o que ele precisava era estar na presença de Deus.
Nós muitas vezes também sentimos sede, mas não damos atenção à nossa alma que precisa da comunhão com Deus.
Muitas vezes a correria de nossos dias faz com que não tiremos tempo para contemplar a presença de Deus. Parar para ouvir a voz de Deus muitas vezes é complicado. Às vezes pensamos que somos autossuficientes e que conseguimos viver sem Deus. Só aí percebemos que precisamos de algo que vá nos preencher. Enquanto não pararmos, vamos nos cansar de fazer tantas outras coisas, e ficaremos abatidos, só lembrando, com saudade, do tempo em que ainda tínhamos comunhão com Deus. Se não pararmos e não entregarmos à Deus totalmente, vamos sempre continuar com sede.

“Deus, ensina-nos a parar para contemplar a tua presença e sacia a nossa sede pela tua palavra”.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

DIA DOS PAIS


Domingo será o Dia dos Pais. Embora que há um jogo muito grande do comércio nessas 'datas especiais', é sempre bom ter um dia para poder homenagear os pais.

Mais uma vez, não estarei com meu pai nesse dia.

Mas, quero aproveitar e fazer minha homenagem à ele.

Meu pai é meu exemplo de vida, meu referencial. Muita coisa tenho aprendido com ele. Louvo a Deus pelo pai que tenho, pela minha família.

Louvo a Deus pelo meu pai, que tem me ensinado a andar nos caminhos de Deus desde quando eu era pequeninha.

Pai, obrigada por cada palavra de consolo. Pelas orações. Pelas vezes em que vens sentar e conversar comigo. Por me ouvir chorar. Por se alegrar comigo nos meus momentos alegres. Obrigada por ter me dado a vida!

Te amo muito! Não estarei aí com você para comemorar juntos esse dia, mas saiba que estou com muitas saudades!

quinta-feira, 30 de julho de 2009

ATUALIZANDO...


Ando meio relaxada com essa coisa de blog. Na verdade, às vezes falta inspiração.

Vou fazer um 'balanço' dos dias que se passaram...

Há algumas semanas, eu vinha pensando sobre o que fazer da minha vida, e não estava chegando a tirar nenhuma conclusão. Estou em fase de conclusão da integralização de teologia (o tal curso que vai me dar o diploma de ensino superior reconhecido pelo MEC), faltando apenas fazer o Artigo de Conclusão Final. Estava tentando decidir o que fazer depois que eu saía do trabalho, já que eu estava deixando simplesmente o tempo passar. Cheguei a ter vontade de largar tudo aqui, e ir embora. A dúvida era: pra onde eu vou? Me sentia meio sem chão, sem ter pra onde ir. Nessa indecisão, sem saber o que fazer, vi uma faixa na rua, divulgando um curso de administração. Liguei na escola um dia, e no outro as aulas começaram. É um curso técnico, com duração de um ano, aprovado pelo MEC. Bem básico, com as noções básicas da administração. É um curso gratuito, e fica perto da minha casa. Estou gostando, e estou empolgada para aprender. Creio que com esse curso vou ter noção se gosto mesmo disso, e dependendo, depois posso tentar fazer uma pós-graduação ou uma faculdade nessa área.

Ainda não descobri de fato o que farei da minha vida, que profissão vou seguir, mas escolhi viver, ao invés de ficar parada no tempo, esperando as coisas acontecerem. Vou seguir estudando, aprendendo mais, me aperfeiçoando, e assim vou construindo o meu futuro.

Eu continuo com gripe. Acredito que já está fazendo um mês que estou com essa gripe e tosse. Essa semana, na aula, praticamente fui obrigada a deixar a sala devido a gripe. O pessoal está com medo da tal gripe suína, e ninguém quer pegar gripe. Óbvio, gripe é horrível, ainda mais essa suína. Mas achei um tanto exagerado ter que sair da sala por estar gripada. Porém isso me forçou procurar um médico, já que estava há alguns dias ruim. Acabei ganhando dois medicamentos para tomar, e agora estou me medicando. Espero que essa gripe acabe dessa vez.

Estou passando por alguns dias onde prefiro silenciar. Por isso também não estava escrevendo por aqui. Estou com algumas inquietações e dúvidas, que me fazem pensar. Tenho percebido e aprendido que a vida é feita de escolhas. Fiz algumas escolhas erradas, e acabo sofrendo as consequências dessas escolhas. Às vezes é um tanto complicado lidar com essas consequências, mas faz parte da vida, do processo de crescer, do amadurecimento. Tenho aprendido com minhas cabeçadas, com meus erros.

Alguns amigos meus por vezes acabam sendo um tanto duros comigo, o que é bom. Por vezes meio que cavocam nas minhas feridas, o que dói, mas isso ajuda para que eu acorde pra vida.

E assim eu vou vivendo...

Termino esse post com a letra da música 'Sutilmente' (Skank):

"E quando eu estiver triste, simplesmente me abrace.

Quando eu estiver louco, subitamente se afaste.

Quando eu estiver fogo, suavemente se encaixe.

E quando eu estiver triste, simplesmente me abrace.

E quando eu estiver louco, subitamente se afaste.

E quando eu estiver bobo, sutilmente disfarce.

Mas quando eu estiver morto, suplico que não me mate, não,

dentro de ti, dentro de ti...

Mesmo que o mundo acabe, enfim, dentro de tudo que cabe em ti"


segunda-feira, 20 de julho de 2009

DIÁRIO DO FIM DE SEMANA


Aqui em Curitiba, continua fazendo frio. Na verdade a temperatura vive oscilando. Na semana passada, tivemos alguns dias que à tarde apareceu o sol, o que fez esquentar um pouco, dando até para usar camiseta de manga curta por algumas horas. Porém a noite, volta a fazer frio. Essa oscilação na temperatura é 'ótima' para pegar gripes e resfriados. Estou com um resfriado e tosse há alguns dias. Já ingeri alguns remédios anti-gripais, bem como um vidro de xarope para a tosse, e nada de esse resfriado me deixar.

Com esse tempo e o resfriado, dá uma preguiça enorme, uma vontade de não fazer nada, de ficar horas e horas assistindo filmes debaixo de cobertas.

E foi isso que fiz grande parte desse fim de semana. Sexta-feira eu, a Arlete e a Kell fomos na locadora alugar filmes. Acabamos alugando "À Prova de Fogo"; "Marley e eu"; "Bee Movie" e "Sim, Senhor".

Na sexta à noite, assistimos "Marley e eu". Pra quem não viu o filme, Marley é um cachorro. Não vou aqui contar a história do filme todo, não se preocupem :D. Por incrível que pareça, eu chorei no final do filme. Ok, eu sou um tanto 'chorona' mesmo. Ultimamente choro assistindo até o Programa Caldeirão do Huck. Mas, enfim. Achei linda a amizade e o apego que a família acabou tendo pelo Marley, mesmo sendo ele um cão um tanto atrapalhado.

Quem me conhece, sabe que eu não sou muito fã de cachorros. Acho que isso se deve ao fato de eu ter sido mordida por dois cachorros quando eu era criança. Devo ter ficado traumatizada. Depois disso, já tivemos cachorros pequenos, mas não sou muito favorável a criá-los dentro de casa. Até achei estranho que eu chorei tanto vendo esse filme, por não gostar muito de cachorros. Mas, é um filme engraçado, e com uma 'lição' de amizade incrível. Há quem diga que o cachorro é o melhor amigo do homem. Se isso é verdade ou não, não sei, mas sei que dizem que os cachorros são fiéis, talvez até mais que alguns amigos humanos.

Enfim, na sexta ainda começamos a assistir "Sim, Senhor". Eu estava podre de sono, e comecei a piorar do meu resfriado, e fui dormir no início do filme. Sábado pela manhã fui trabalhar. Fui ajudar o pessoal da igreja onde trabalho a organizar as coisas para o Bingo que eles fizeram à tarde. Perto do meio-dia fui para casa, e assisti parte do filme "Bee Movie" e assisti "Sim, Senhor". Achei interessante esse filme. É uma sátira à igreja, pelo que deu para perceber. É um filme inteligente, e faz pensar nos abusos que algumas igrejas tem cometido. Falando em abusos, recentemente foi lançado o livro "Feridos em nome de Deus", da Editora Mundo Cristão, autora Marília de Camargo César. Ainda não li o livro, mas pretendo adquirir e ler ele em breve. Mas, como eu ia dizendo, recomendo assistir "Sim, Senhor". É meio que um 'tapa na cara' de algumas igrejas. Há líderes que acabam tendo o domínio sobre seus 'fiéis', e estes os seguem meio que cegamente.

Sábado à tarde saí com o Mauro e a Arlete. Fomos na gravação do DVD do Grupo "Ecos de Adoração", na Igreja Assembléia de Deus no bairro Fazendinha. Foi uma noite legal.
Domingo acordei com uma dor de cabeça horrível, mas mesmo assim, ainda assisti o filme "Bee Movie", que não tinha conseguido assistir ele por inteiro. É um filme infantil, porém bom também.

À tarde fomos passear no shopping. Aliás, finais de semana os shoppings fervem de gente. Creio que devido a esse frio, a maioria das pessoas acabam optando em passear nos shoppings. Ficamos por decidir entre ir em algum parque ou ao shopping, e devido ao frio, optamos em ir ao shopping mesmo. Mas é um fervo! Filas enormes para comprar um sorvete. E tem que andar com cuidado para não ficar tropeçando nos outros.

Após o shopping, fomos na igreja.

Foi um final de semana cheio, e apesar da minha indisposição com o resfriado e a dor de cabeça, foi muito bom, do jeito que eu gosto. E agora, cá estou eu, para cumprir a jornada de mais uma semana de trabalho.

Ah, citei acima que alugamos também o filme "À prova de fogo". Não assisti nesse final de semana, pois não sobrou tempo, mas já assisti esse filme no mês de maio. É um filme ótimo. Trata da reconciliação e da mudança de vida de um casal.

Recomendo esses filmes que assisti. Talvez nem todos gostem, mas são filmes interessantes. E, mesmo não tendo lido ainda o livro "Feridos em nome de Deus", recomendo a leitura desse livro.

Desejo uma abençoada semana a todos!

quarta-feira, 15 de julho de 2009

CÁ ESTOU EU NOVAMENTE...


Depois de alguns dias, resolvi voltar a escrever aqui.

Depois de passar alguns dias bem corridos, com trabalhos da integralização pra fazer, e de muitas coisas pra deixar pronto no meu serviço, estou novamente com os dias mais calmos, serenos.

Entreguei todos os trabalhos. Estava com medo das notas, mas me saí bem em todos, conseguindo até tirar um 10!

Os dias estão frios em Curitiba. E põe frio nisso! Ô sala gelada essa minha do meu trabalho! Mãos e pés ficam constantemente gelados. Mas, como já dizia o grande 'filósofo': faz parte!

Passei alguns dias sem saber o que escrever, sem inspiração nenhuma. Apenas entrava no meu blog para ler os blogs de outros.


Estive pensando nos últimos dias sobre a presença de Deus. Algumas pessoas, ao orarem, começam orando assim: 'estamos entrando na tua presença, Senhor...' Será isso certo, dizer que estamos entrando na presença de Deus? Se estamos entrando, é porque em algum momento saímos dessa presença. E porque saímos? A presença de Deus é constante. Ele está ali, contigo em todos os teus momentos. Ele está presente mesmo quando não percebemos, ou quando não queremos que a presença dele esteja conosco. Mas Ele está ali, com sua presença real. Sendo assim, não precisamos orar dizendo que estamos entrando em sua presença, já que essa presença nos acompanha o tempo inteiro.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

E QUANTO A TODO MAL PERPETRADO EM NOME DA RELIGIÃO?

Muitos ateus usam de argumentos para a sua não crença em Deus, justifcando seus argumentos através da pergunta: Se Deus existe, como explicar todo o mal perpetrado em nome da religião? Francis Collins, em seu livro A Linguagem de Deus, responde assim:

“Se o caso a favor da crença em Deus fosse totalmente hermético (fechado), o mundo estaria cheio de praticantes de uma única fé. Imagine, porém, este mundo se a oportunidade de escolher livremente uma crença tivesse sido removida em virtude da certeza das evidências. Que desinteressante seria, não?
E quanto a todo o mal perpetrado em nome da religião?
Um obstáculo importante para muitos indivíduos determinados é a evidência obrigatória, ao longo da história, dos terríveis atos realizados em nome da religião. Isso se aplica a praticamente todas as fés em algum ponto, até as que argumentam ter a compaixão e a não-violência entre seus princípios centrais. Diante de exemplos rudes de abuso de poder, violência e hipocrisia, como alguém pode unir-se aos princípios de uma fé promovida por tamanhos disseminadores do mal?
Para esse dilema existem duas respostas. Em primeiro lugar, saiba que muitas coisas maravilhosas também foram realizadas em nome da religião. A Igreja muitas vezes desempenhou uma função crucial no apoio à justiça e à benevolência. A segunda resposta, porém, nos traz de volta à Lei Moral, ao fato de que todos nós, seres humanos, fracassamos alguma vez. A Igreja se faz com pessoas arruinadas. A água pura e límpida da verdade espiritual é colocada em recipientes enferrujados, e os posteriores fracassos da Igreja ao longo dos séculos não devem ser projetados sobre a fé, como se a água fosse o problema. Não é de estranhar que aqueles que acessam a verdade e o apelo da fé espiritual geralmente acham impossível imaginar-se aceitando uma religião por causa do comportamento de determinada igreja. Ao expressar hostilidade à Igreja Católica francesa, no alvorecer da Revolução Francesa, Voltaire escreveu: ‘Alguém se surpreende de que haja ateus no mundo, quando a Igreja se porta de modo tão abominável?’ Não é difícil identificar exemplos em que a Igreja executou ações opostas aos princípios pelos quais sua fé deveria ter dado respaldo.
As Bem-aventuranças ditas por Cristo no Sermão da Montanha foram ignoradas pela Igreja cristã, que realizou violentas Cruzadas na Idade Média e persistiu com uma série de inquisições em seguida.
E não é apenas a violência que mancha a verdade da fé religiosa. Exemplos frequentes de hipocrisia crassa entre líderes religiosos, tornadas ainda mais visíveis pelo poder dos meios de comunicação, fazem muitos céticos concluírem que não há verdade ou bondade objetivas a encontrar na religião. Talvez ainda mais traiçoeiro e disseminado seja o surgimento, em várias igrejas, de uma fé secular espiritualmente morta, que salta dos aspectos sacros da crença tradicional, apresentando uma versão da vida espiritual relacionada a eventos e/ou tradições sociais, e não com a busca por Deus.
Causa, então, estranheza que alguns críticos apontem a religião como uma força negativa na sociedade ou, nas palavras de Karl Marx, "o ópio das massas"? Mas sejamos cuidadosos nesse ponto. As grandes experiências marxistas na União Soviética e na China de Mao, que visavam estabelecer sociedades explicitamente baseadas no ateísmo, comprovaram-se capazes de cometer pelo menos a mesma quantidade de, ou até mais, massacres de pessoas e abuso explícito de poder que cometeu o pior dos regimes de épocas recentes. Na verdade, ao negar a existência de qualquer autoridade superior, o ateísmo tem o potencial recém-descoberto de libertar totalmente os humanos de qualquer responsabilidade de não oprimir uns aos outros. Assim, embora a longa história da opressão e da hipocrisia religiosas seja muitíssimo grave, o pesquisador mais sincero deve enxergar além do comportamento de humanos falhos, a fim de encontrar a verdade. Você condenaria um carvalho se sua madeira tivesse sido usada para fazer aríetes? Culparia o ar por permitir a transmissão de mentiras através dele? Não. Uma avaliação completa da verdade da fé depende de um exame na água pura e cristalina, não nos recipientes enferrujados”. (p. 42-50)

quarta-feira, 1 de julho de 2009

quinta-feira, 18 de junho de 2009

AMAR...




"Amar é tornar-se vulnerável.


Ame, seja o que for, e é provável que seu coração se contorça e se quebre.


Se você quiser ter certeza de mantê-lo intacto, não dê seu coração a ninguém, nem mesmo a um animal.


Enrole-ocuidadosamente com 'hobbies' e pequenos luxos; evite todos os envolvimentos;


guarde-o em segurança no cofre ou no caixão mortuário seguro, escuro, imóvel, sem ar seu coração se transformará. Não se quebrará; ficará inquebrantável, impenetrável, irredimível...


O único lugar exceto o céu, em que você pode estar a salvo de todos os perigos... do amor, é o inferno". C.S. Lewis

terça-feira, 16 de junho de 2009

QUERO VOLTAR A SER FELIZ


Há um tempo atrás, recebi este texto em um e-mail. Hoje encontrei ele novamente, e resolvi compartilhá-lo aqui. Quero voltar a ser feliz!


"Quando criança, ladrões tinham a aparência de ladrões e nossa única preocupação em relação à segurança era a de que os 'lanterninhas' dos cinemas nos expulsassem devido as batidas com os pés no chão quando uma determinada música era tocada no início dos filmes, nas matinês de domingo.
Meus pais, professores, avós, tios, vizinhos, eram pessoas dignas de respeito e consideração.
Quanto mais próximos, e/ou mais velhos, mais afeto...
Inimaginável responder deseducadamente à policiais, mestres, aos mais idosos, autoridades...
Confiávamos nos adultos porque todos eram pais e mães de todas as crianças da rua, do bairro, da cidade.
Tínhamos medo apenas do escuro, de sapos, de filmes de terror.
Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo o que perdemos.
Por tudo que meus netos, um dia, temerão.
Pelo medo no olhar das crianças, jovens, velhos e adultos.
Matar os pais, os avós, violentar crianças, sequestrar, roubar, enganar, passar a perna, tudo virou banalidade de notícias policiais, esquecidas após o primeiro intervalo comercial.
Agentes de trânsito multando infratores são exploradores, funcionários de indústrias de multas.
Policiais em blitz são abuso de autoridade.
Regalias em presídios são matérias votadas em reuniões.
Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos.
Não levar vantagem é ser otário... Pagar dívida em dia é bancar o bobo, anistia para os caloteiros de plantão.
Ladrões de terno e gravata, assassinos com cara de anjo, pedófilos de cabelos brancos...
O que aconteceu conosco?
Professores surrados em salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas.
Crianças morrendo de fome...
Que valores são esses?
Carros que valem mais que um abraço...
Filhos querendo-os como brindes por passar de ano... celulares nas mochilas dos recém saídos das fraldas.
TV, DVD, vídeo-games...
O que vai querer em troca desse abraço, meu filho?
Mais vale um Armani do que um diploma...
Mais vale um telão do que um papo...
Mais vale um baseado do que um sorvete...
Mais vale dois vinténs do que um gosto...
Que lares são esses?
Jovens ausentes, pais ausentes...
Droga presente! E o presente? Uma droga!
O que é aquilo? Uma árvore, uma galinha, uma estrela, ou uma flor?
Quando foi que sumiu ou virou ridículo?
Quando foi que esqueci o nome do meu vizinho?
Quando foi que olhei nos olhos de quem me pede roupa, comida, calçado, sem sentir medo?
Quando foi que me fechei?
Quero de volta a minha dignidade, a minha paz!
Quero de volta a lei e a ordem.
Quero liberdade com segurança!
Quero tirar as grades da minha janela para tocar as flores!
Quero sentar na calçada e ter a porta aberta nas noites de verão!
Quero a honestidade como motivo de orgulho.
Quero a vergonha, a solidariedade. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olho no olho.
Quero a esperança, a alegria.
Teto para todos, comida na mesa, saúde a mil.
Abaixo o 'Ter' viva o 'Ser'!
E viva o retorno da verdadeira vida, simples como uma gota de chuva, limpa como um céu de abril, leve como a brisa da manhã!
E definitivamente comum, como eu.
Adoro o meu mundo simples e comum.
Ter o amor, a solidariedade, a fraternidade como base.
A indignação diante da falta de ética, de moral, de respeito...
Vamos voltar a ser gente? Discordar do absurdo...
Construir sempre um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas...
Utopia? Não...
... se você e eu fizermos a nossa parte e contaminarmos mais pessoas, e essas pessoas contaminarem mais pessoas!"

(Autor desconhecido)

sexta-feira, 12 de junho de 2009

REMENDO NOVO EM VESTE VELHA


Toda vez que venho trabalhar me lembro desse versículo: "Ninguém põe remendo de pano novo em veste velha; porque o remendo tira parte da veste, e fica maior a rotura (o corte)". (Mateus 9:16).

O asfalto - se é que ainda dá para chamar de asfalto - das ruas onde passo diariamente, constantemente está todo cheio de buracos. Cada chuva que dá, eles aumentam.

E o que a prefeitura faz? Remenda os buracos. Coloca pedaços de asfalto novo em cima deles. E não adianta nada. A chuva leva o remendo embora. E o asfalto fica todo bagunçado, feio, cheio de buracos e partes de remendos.

Nunca cheguei a entender completamente o versículo que escrevi acima. Mas toda vez que passo no asfalto, esse versículo me vêm à mente. O versículo nos diz que se colocarmos remendo de pano novo em veste velha, o remendo tira parte da veste, deixando um corte grande.

Remendo novo em cima de asfalto velho também não dá certo. Os buracos ficam maiores com o tempo. E o barato acaba saindo caro. Será que não compensava arrumar o asfalto todo de uma vez, ao invés de ficar tentando fazer remendos?

Sei que Jesus foi sábio ao dizer tais palavras... (aliás, ele sempre é sábio)

O OUTRO LADO DA MOEDA


Há alguns dias atrás, escrevi sobre o frio que está fazendo em Curitiba, bem como sobre as pessoas que moram na rua e não tem com o que se aquecer.
Essa semana, assistindo um jornal regional, passou que a prefeitura de Curitiba possui um abrigo, e todas as noites, passa nas ruas recolhendo moradores de rua, para que possam passar a noite no abrigo, recebendo alimentação e cama.
Na reportagem, mostrou a Kombi da prefeitura recolhendo os moradores, e alguns deles simplesmente se recusaram a passar a noite no abrigo, preferindo permanecer no frio.
Fico me perguntando o que leva essas pessoas a recusarem tal oferta. Penso também naquelas pessoas que muitas vezes ganham comida e roupa, e vendem para comprar bebida e/ou drogas. Devido a essas pessoas, muitas vezes não ajudamos mais ninguém, pois rotulamos todo mundo, e colocamos todos dentro da mesma fôrma, acreditando que todos irão vender aquilo que doamos.
Assim, os bons acabam pagando pelos maus.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

O SUSTO!




Um vídeo para descontrair!

Desejo uma ótima semana a todos!

sexta-feira, 5 de junho de 2009

MARAVILHOSAS SÃO AS OBRAS...




“Ó Senhor, quão multiformes são as tuas obras! Todas elas as fizeste com sabedoria; a terra está cheia das tuas riquezas” (Salmo 104.24).

DOE CALOR!


Num dos post's anteriores, eu escrevi sobre o frio que está fazendo em Curitiba. E escrevi que, geralmente, alguém acaba morrendo de frio na cidade.
E foi o que aconteceu. Na madrugada da noite passada, uma pessoa morreu de hipotermia. Não resistiu ao frio.
Não tem como não se entristecer com uma notícia dessas. Está bem frio por aqui. Está geando praticamente toda noite. Dentro de casa já é bem frio. Imagina ter que dormir na rua. Sei que em várias cidades está fazendo esse frio todo. Em vários lugares deve ter pessoas que não estão resistindo ao frio.
Vou seguir fazendo uma 'campanha do agasalho'. Doe calor! Doe roupas quentes, cobertores para alguém! Há pessoas precisando daquilo que não usas mais, mas que ainda permanece no teu guarda-roupa!
Vamos aquecer essas pessoas que estão morrendo de frio!
Lembrei de uma música da banda 'Nenhum de nós'. Jornais:


"Quantos filhos esperaram a chegada de seus pais
Tantos deles não vieram,
Não chegaram nunca.
A calçada não é casa, não é lar,
Não é nada.
Nada mais do que um caminho que se passa.
Tão estranho pra quem fica... pra quem fica.
As palavras no asfalto,
nessa vida são tão duras.
O carinho não consola,
mas apenas alivia.
A calçada não é cama.
Não é berço,
Não é nada.
Nada mais nos faz humanos sem afeto.
E o medo é um abraço tão distante de quem fica.
Onde vai?
Nós estamos de passagem.
Onde vai?
Onde a rua nos abriga.
Onde vai?
Estamos sempre de partida.
Onde vai?
Onde a rua nos abriga desse frio.
As pessoas que se enrolam nos jornais
não são mais notícia.
Elas não esperam de um papel de duas cores
mais que um pouco de calor.
A calçada não é pai.
Não é mãe.
Não é nada.
Nada mais do que um abrigo,
um refúgio.
Tão estranho pra quem passa... Pra quem passa"

terça-feira, 2 de junho de 2009

A TROCA


Domingo aluguei o filme 'A troca'.
Eis aqui a sinopse do filme: "Uma mãe desesperada reza para que a polícia consiga encontrar seu filho que fora sequestrado. As preces são atendidas, e a criança volta para casa. Mas não demora muito e a mãe começa a desconfiar que aquele menino não é o seu filho".
Não vou colocar aqui mais detalhes do filme, pois vai perder a graça. Mas o filme é baseado em fatos reais. É uma história comovente. Um filme que vale a pena assistir.
Ok, vou falar só um pouquinho do filme. Um pastor presbiteriano resolve ajudar essa mãe, que está sendo enganada pela polícia. Ele luta contra a injustiça. Através do incentivo desse pastor, da luta dele contra a injustiça, se descobre o que de fato aconteceu com o filho dessa mãe desesperada. Pronto. Mais eu não vou falar. Assistam o filme para saber o que acontece!
Eu sou bem chorona. Chorei ao ver o filme. E comecei a pensar sobre a atitude do pastor. Que teve coragem de lutar contra as injustiças. Fiquei pensando em mim. O que eu tenho feito?
Há tantas injustiças por aí. O que tenho feito? Finjo que não estou vendo. Calo a minha boca.
E há pessoas que continuam sofrendo.
Quero fazer alguma coisa. Quero aprender a gritar. A soltar a voz. A ir contra tudo o que está errado, tudo o que é injusto.
Sábado à noite, saí com as garotas da minha república. Na volta, ficamos mais de 20 minutos esperando o ônibus. Brinquei que como está na moda fazer protestos, eu iria fazer um protesto para que tenha mais ônibus circulando. Essa brincadeira saiu em tom de zombaria com quem faz protestos. Mas, pensando bem, talvez seja essa a solução. Não fazer protestos só para que tenha mais ônibus, mas sair pelas ruas, soltando a voz na cidade, para que as autoridades passem a olhar por nós. Para que a desigualdade acabe. Para que a impunidade acabe. E tantas outras coisas.
Eu quero fazer história. Deixar minha marca. Não sei ainda como. Me sinto impotente, sem saber o que fazer, por onde começar. Mas não aguento mais ficar apenas assistindo tudo o que acontece. Apenas assistir na TV tantas tragédias. Ver que muitas pessoas morrem de forma boba. Ver que deputados estão pegando o nosso dinheiro. Ver que eles ganham um salário muito alto, enquanto me ralo pra ganhar um salário baixo.
Não aguento mais apenas assistir pessoas morrendo de fome, de frio, enquanto que tem pessoas que gastam R$ 700,00 num único jantar.
Basta!
Que Deus nos encoraje a sair pelas ruas. A abrir a boca. A lutar contra as injustiças, assim como o pastor presbiteriano do filme. Que possamos fazer justiça, e deixar a nossa marca na história desse país!

FRIO



Está um bocado frio em Curitiba. Geou nessa madrugada. Não muito, mas geou.
Ontem, quando fui me deitar, custei a pegar no sono, pois não conseguia me aquecer. Dormi com dois edredons, e dois cobertores. Exagero? Pode ser, mas mesmo com tudo isso, eu estava passando frio.
Hoje pela manhã vindo ao trabalho, quase congelei. Minhas orelhas gelaram. Está ventando. Um vento gelado, daqueles que dá a sensação de que está nos cortando.
Meus dedos estão congelados, duros. Não dá vontade de digitar. Aliás, estou demorando um tempão pra digitar esse pedacinho de texto.
Estou com vontade de hibernar. É, acho que vou fazer isso. Vou dormir. Ficar embaixo das minhas quatro cobertas. Por favor, me acordem quando voltar o calor, ok?
Nem que eu precise dormir por meses. Mas não dá vontade de sair de casa. Não mesmo.
Na verdade acho que deveria ser decretado 'feriado' nesses dias tão frios. Pronto, vou me candidatar nas próximas eleições. Vou ser prefeita da cidade. Vou decretar que em dias assim tão frios, ninguém deve sair de casa. Ninguém trabalhará, ninguém estudará. Todos deverão ficar em casa com a família, assistindo filme, tomando chocolate quente... E aí, alguém vai votar em mim?
Ou então vou fugir de Curitiba. 'E se quiser saber pra onde eu vou, aonde tenha sol, é pra lá que eu vou'.
Ontem quando estava tentando me aquecer, não pude deixar de pensar nos moradores de rua. Em Curitiba há muitos moradores de ruas. Não só aqui. Em todo lugar. Sei que geralmente algumas pessoas acabam morrendo de frio (literalmente).
Ontem fiquei pensando no quanto essas pessoas passam frio. Se eu que estava dentro de casa, com quatro cobertas, demorei a me aquecer, imagina o frio que essas pessoas passam. Ontem desejei que essas pessoas conseguissem se aquecer, de alguma forma. Orei para que de alguma forma, Deus os aquecesse, e que não passassem tanto frio.
Há algumas semanas, tirei sacolas de roupas do meu guarda-roupa e doei.
Doe você também as roupas que não estás usando! Doe aquela roupa que está no seu guarda-roupa há mais de um ano sem que você a use. Aquela roupa que toda vez que você arruma seu guarda-roupa você olha pra ela e pensa: ainda posso usar. Mas aí você arruma o guarda-roupa novamente e vê que ainda não usou. Há pessoas que precisam dessa roupa, e vão usar muito mais que você!
Aqueça alguém! Traga calor para quem tanto sofre com o frio!

segunda-feira, 1 de junho de 2009

QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA

Na minha casa há uma porção de revistas PLANETA. Esses dias estava lendo a revista de outubro de 2007, e um texto me chamou à atenção.
O título do artigo é: 'Suicídio cresce no Brasil'. Abaixo, transcrevo partes do artigo:

"Aumenta o número de brasileiros, sobretudo jovens, que tiram a própria vida. No Brasil, nos últimos anos, as mortes por suicídio de pessoas entre 15 e 24 anos cresceram 1.900%
Temos um problema sério pela frente: no Brasil, em 20 anos, o número de mortes por suicídio cresceu 1.900% na faixa etária de 15 a 24 anos. Com tal incidência, representa a terceira principal causa de morte de pessoas em plena vida produtiva. As consequências atingem também a família. Pesquisas mostram que cada morte afeta - profundamente e por tempo prolongado - pelo menos cinco pessoas.
As estatísticas revelam a extensão de um problema que merece a nossa reflexão. Nos últimos 40 anos, as taxas de mortalidade mundial por suicídio subiram cerca de 60%. Nada menos do que um milhão de pessoas morrem por ano por essa causa - uma morte a cada 40 segundos, praticamente todas elas em consequência de depressão ou de algum transtorno mental.
Estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) sinalizam que haverá mais de 1,5 milhão de vidas perdidas por esse motivo em 2020, representando 2,4% de todas as mortes. A OMS também registrou que permanece a tendência de crescimento das mortes entre os jovens, especialmente nos países em desenvolvimento.
Diante da gravidade do assunto, o tema há alguns anos passou a integrar as políticas de saúde pública em diversas partes do mundo. Com a criação de programas de prevenção, países como os Estados Unidos já estão conseguindo reduzir o número de casos. 'Isso mostra que a melhor conduta é criar redes de proteção para dar o suporte necessário às pessoas em risco e suas famílias', opina Humberto Corrêa, psiquiatra e chefe do Departamento de Saúde Mental da Universidade Federal de Minas Gerais.
Reduzir as taxas de suicídio é um desafio coletivo. A sociedade precisa romper com os tabus e se engajar nessa batalha. Apesar de não serem raras as famílias em que alguém não tentou ou morreu, pouco se fala do assunto. A mídia, um poderoso instrumento de educação e conscientização, também se omite sobre essa questão 'desgostosa'. 'Mas a nossa resposta não pode ser o silêncio. Nossas chances de chegar às pessoas que precisam de ajuda dependem da visibilidade', prossegue o médico".

Também nos últimos dias tenho dado uma 'espiada' na comunidade do orkut PGM (Perfil de Gente Morta). Numa dessas comunidades, é colocado o perfil da pessoa que morreu, bem como a causa de sua morte. Me assustou ver uma grande quantidade de pessoas que cometeram suicídio. A maioria dessas pessoas, como também traz a reportagem da revista, são adolescentes e jovens.
Passei a ler alguns recados de amigos para essas pessoas que tiraram a própria vida (acho estranho as pessoas ficarem enviando recados para quem já faleceu, pois não poderá mais ler nada. Mas as pessoas continuam mandando recados...). No perfil da maioria dessas pessoas, encontrei recados de amigos e familiares, pessoas que eram bem próximas. Estranho notar que na maioria desses perfis, havia recados que diziam mais ou menos assim: 'convivi contigo, éramos próximos... eras uma pessoa alegre... mas não conhecia tuas dores mais profundas... não entendi por que fizesses isso... por quê fez isso? pena que não te conheci o suficiente a ponto de te ajudar, a ponto de evitar que isso acontecesse...'
Lendo os recados, fiquei pensando: 'Que tipo de relacionamentos estamos construindo com as pessoas'?
Só pode ser que muitas pessoas tem relacionamentos vazios, de 'fachada'. Estranho ver que amigos, talvez os melhores amigos de algumas dessas pessoas que tiraram a própria vida, que talvez conviviam diariamente com a pessoa, não perceberam que a pessoa estaria vivendo de forma infeliz, a ponto de pensar em se matar.
Nossa resposta não pode ser o silêncio!
Fique atento à seus amigos. Preste atenção nas suas conversas. Tente perceber se teu amigo não está demonstrando sinais de que está pensando em atentar contra sua própria vida. Na maioria dos casos, o suicídio estava relacionado à casos de depressão. Fique atento a quem está com depressão. Muitas vezes isso pode começar com conversas do tipo: 'a vida perdeu a graça... perdeu o sentido... não encontro mais motivos para viver...' Essas conversas podem ser indício de que algo não está indo bem.
Desejo que possamos estar construindo relacionamentos verdadeiros. Que encontremos pessoas com as quais podemos desabafar, e falar de tudo o que se passa no nosso íntimo. Que possamos dar mais atenção às pessoas, não só fingir que estamos ouvindo, mas escutar com o coração. Que possamos investir tempo em relacionamentos sadios, em amizades verdadeiras!